Blog Clínica SiM | Clínica Popular em Fortaleza

Saiba como garantir o acompanhamento na gravidez

acompanhamento na gravidez

O pré-natal, que é o acompanhamento médico que toda gestante deve fazer durante os nove meses da gestação, é de extrema importância para garantir a saúde do bebê e da mamãe. Por conta disso, a recomendação do Ministério da Saúde é que sejam realizadas no mínimo seis consultas com o ginecologista nessa fase tão importante da vida da mulher e de seu filho.

Muitos exames serão necessários para identificar problemas de saúde que possam comprometer o desenvolvimento do bebê e o bem-estar da gestante.

Nesse post, vamos falar sobre a importância desse acompanhamento na gravidez e como ter acesso a todos os exames e cuidados para que você e seu bebê sejam bem assistidos enquanto se preparam para essa nova vida. Confira:

A importância do acompanhamento na gravidez

É durante as consultas de rotina do pré-natal que será feito todo o acompanhamento da saúde da gestante, como a avaliação do ganho de peso adequado, o crescimento do útero, o controle da pressão arterial materna e dos batimentos cardíacos do feto.

Também serão solicitados exames importantes para o diagnóstico e prevenção de malformações e doenças que podem comprometer a saúde do bebê.

Além desses cuidados médicos, outras atenções relacionadas aos hábitos de vida, como alimentação e prática de exercícios físicos, são imprescindíveis para a mulher preparar o seu corpo para as intensas mudanças da gravidez, evitando o ganho excessivo de peso, e o diabetes gestacional.

A importância do acesso aos exames básicos

No primeiro trimestre da gravidez são realizados os primeiros exames de pré-natal para detectar problemas de saúde da mãe que podem afetar o bebê ou ainda prever se cuidados mais específicos serão necessários durante a gestação.

Esse é um momento crítico para o embrião, pois é nessa fase que são formadas as primeiras estruturas do feto que vão se desenvolver até o dia do nascimento — é também o período de maior risco de malformações. Por isso, o acesso a esses exames é imprescindível.

banner-ebook-exercicios-gravidas

Os exames básicos da gestação

O Ministério da Saúde preconiza os seguintes exames como obrigatórios para toda gestante: hemograma completo; glicemia; tipo sanguíneo e fator Rh; Teste para HIV; Sorologia para rubéola, toxoplasmose, sífilis, hepatite C e B e urina. Esses exames devem ser repetidos na 28ª semana da gravidez.

O exame de Papanicolau também deve ser feito se os exames preventivos da gestante não estiverem em dia. Ele é importante para detectar câncer do colo de útero.

Ultrassonografias

Durante as 40 semanas também devem ser realizados ao menos quatro ultrassons:

no primeiro trimestre para confirmar a gestação, se a gravidez é gemelar ou única, entre outras informações;

no início do segundo trimestre, de translucência nucal, para verificar indícios de malformações cromossômicas;

no segundo semestre é solicitado o ultrassom morfológico para avaliar os órgãos internos do bebê;

e o último, a partir da 35ª semana, para avaliar o bem-estar do bebê antes do parto.

Como garantir o acompanhamento na gravidez

Muitas mulheres encontram dificuldades para ter acesso aos exames básicos no sistema público de saúde. Alguns exames, como os ultrassons de translucência nucal e morfológico, devem ser realizados em um período específico da gravidez ou não fornecem as informações precisas para o correto atendimento à grávida e ao bebê.

Nessas condições, as clínicas populares são grandes parceiras, pois oferecem esses exames com qualidade e preço acessível, garantindo o atendimento adequado à gestante e seu bebê.

Além dos exames, também são oferecidos cursos de gestantes para orientar e tirar dúvidas da mulher sobre as peculiaridades da gravidez, amamentação e primeiros cuidados com o recém-nascido.

Agora que você sabe a importância do acompanhamento na gravidez, leia também nosso artigo Planejamento durante a gravidez: providências por trimestre.

Gostou? Compartilhe!
Sobre o autor:

Deixe seu comentário